Estudante Marcos Foloni, aprovado no ITA (1º lugar) e no IME, ao lado do Prefeito Ivo Gomes.
 
A Rede Pública Municipal de Educação de Sobral começa a dar frutos. Após ter estudantes aprovados em Medicina, Psicologia e Engenharias, agora um ex-aluno da rede municipal foi aprovado em dois dos vestibulares mais difíceis do Brasil. Marcos Foloni foi aprovado no Instituto Militar de Engenharia (IME) e, em 1º lugar do Brasil, no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Marcos estudou nas escolas Emílio Sendim, José da Matta, Prof. Gerardo Rodrigues e Colégio Sobralense de Tempo Integral Maria Dorilene Arruda Aragão.

Na quinta-feira (09/01), o prefeito Ivo Gomes recebeu, em seu gabinete, juntamente com o secretário da Educação, Herbert Lima, o estudante Marcos Foloni, acompanhado de seus professores Luciano Epifânio e Ivan Ferreira, do diretor Pedro Grandson e dos colegas de turma, Jéferson Fernandes e Levi Rodrigues, hoje estudantes dos cursos de Física (IFCE) e Engenharia Elétrica (UFC).


Marcos era um dos alunos que participava das aulas extras aos finais de semana e até nas férias ministradas pelo professor Luciano Epifânio com foco nas olimpíadas científicas, tendo sido monitor da turma. O professor conta, emocionado, que sempre incentivou os alunos a se desafiarem e a estudarem com afinco para as olimpíadas pois “um dia veria os nomes deles em cursos concorridos como Medicina, Direito, Engenharia e até no IME e ITA, mas alguns deles achavam que não seria possível, pois era muito difícil. E hoje vejo este sonho sendo concretizado”, disse Luciano.


O estudante explica que sempre teve afinidade com a área de exatas e que os professores foram fundamentais para sua conquista. “No 9° ano eu descobri que tinha o ITA e o IME e que a prova era muito difícil. Sempre gostei de desafio e desde pequeno fui desenvolvendo o raciocínio lógico [com as aulas na disciplina eletiva de olimpíadas]. Os professores incentivam muito o aluno e ensinam de uma maneira que o aluno entenda melhor e crie gosto pela Matemática. Os professores me ajudaram a perceber várias maneiras de resolver a mesma questão, porque na vida a gente sempre tem que resolver problemas. Quando você tem esse apreço e o professor te incentiva e ainda tem as premiações das olimpíadas, isso ajuda você a continuar estudando. Hoje estou aqui realizando um sonho. É muito gratificante!”.

Entre suas conquistas em olimpíadas estão:  três medalhas de ouro e uma de prata na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA); duas medalhas de ouro e duas de bronze na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP); e quatro medalhas de ouro no Concurso Canguru de Matemática.